O feminismo e o sertanejo: parece que o jogo virou não é mesmo?

Crônica de Douglas Alves 

Que as mulheres estão conquistando mais espaço no mercado, isso não é segredo. Mas o que ninguém esperava – pelo menos agora – era que elas chegassem “metendo o pé na porta”  e reivindicassem o espaço musical que lhes foi tomado por músicas cada vez mais machistas e misóginas. O sertanejo é, por natureza, um estilo musical destinado aos homens e para os homens, isto pois sempre falam da beleza das mulheres, de conquistar mulheres, de bancar mulheres, de laçar mulheres, de trair mulheres, de satisfazer mulheres e as que não falam de mulheres falam sobre as conquistas dos homens e sobre a virilidade deles.

Começou na música e particularmente eu espero que esse movimento não pare por aqui. Se há espaço para os homens cantar, há de ter um bom espaço para elas também. Nessa nova geração musical, elas bebem, traem, ficam, são libertas! Elas pagam, elas mandam e principalmente: elas tem voz!

 

Mas eis que dos redutos da industria fonográfica, surgiram nesse ano músicas que chegaram para dar um tapa na cara da sociedade e retomar a posição autoritária das mulheres. O movimento ” We can do it ” chegou no sertanejo e promete ficar! E se você é machista, é bom ir se acostumando com isso pois nomes  como Marília Mendonça, Naiara Azevedo, Mayara e Maraísa chegaram e estão fazendo barulho.

O feminismo chegar no sertanejo é apenas uma afirmação que a mulher pode e deve  lutar pelo seu espaço.

Alguns anos atrás, alguns ousariam dizer: “Esse momento vai passar, é só mais uma onda de hits”. Mas meus amigos, a música brasileira está tomando novos rumos, eu até entendo que a alguns anos atrás, eu e você consumíamos música ruim por falta de opção. Hoje, com o avanço de novas tecnologias de streaming ouvimos coisa boa de graça – ruim também – e nem por isso a qualidade musical caiu. Ainda existem pessoas que fazem música de qualidade com mensagem forte  e marcante. E é essa a verdadeira relação do Feminismo e da Música Sertaneja!

Até então, extremamente machista o sertanejo não percebeu seu espaço dominado por homens ser invadido pela mulherada. Elas chegaram rápido, com alguns singles, tomaram o topo, mostraram que mandam e que vieram para ficar. É bom pedir um camarote, pois começou a “festa das patroas”.

marilia.jpg
Superar ícones internacionais, fez de Marília Mendonça o bode expiatório de uma geração musical feminina. 

Agora, os homens também tem sua fraqueza exposta. Elas sabem se vingar também:

O seu prêmio que não vale nada
Estou te entregando
Pus as malas lá fora e ele ainda saiu chorando
Essa competição por amor só serviu pra me machucar
Tá na sua mão
Você agora vai cuidar, de um traidor
Me faça esse favor

( Trecho de Infiel, de Marília Mendonça)

Para celebrar esse momento musical, preparei uma playlist intimamente tradutória que irá falar por si só como é esse momento empoderado da mulher, enjoy:

Tem várias outras canções que merecem estar na playlist, mas essas conseguem resumir por alto esse momento. Participe comentando com usa canção que também empodera as mulheres.

============

Continue acompanhando nosso trabalho pelas redes sociais, e claro PELO NOSSO CANAL DO YOUTUBE  com vídeos novos toda semana!INSCREVA.gif

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Curta nossa página close[x]