Cabo da PM reage a tentativa de assalto e suspeito é baleado

Fonte: Correio.

Um cabo da Polícia Militar (PM), de 41 anos, foi vítima de uma tentativa de assalto e baleou um dos suspeitos ao reagir ao crime, na noite desta terça-feira (13), no bairro Luizote de Freitas, zona oeste de Uberlândia. Segundo a PM, os suspeitos teriam atirado duas vezes contra o policial, que reagiu e atirou quatro vezes contra eles. Três dos tiros acertaram um dos suspeitos, de 23 anos. A princípio, ele não corre risco de morte, mas permanece internado sob escolta policial. O outro suspeito conseguiu fugir e ainda não foi preso.

De acordo com a Polícia Militar (PM), o cabo seguia de carro pela rua Rio Corumbá, com a esposa, de 42 anos, em direção ao bairro Jardim Patrícia, também na zona oeste. Os dos suspeitos, a pé, abordaram o casal para tentar levar o veículo. Nesse momento, um dos suspeitos teria dado dois tiros, que não acertaram o casal.

Réplica de arma usada pelos suspeitos foi apreendida no local (Foto: Renato Henriques)

O cabo, que portava um revólver calibre 38, disparou quatro tiros. Dois deles acertaram a coxa e o outro atingiu as nádegas de um dos jovens. Ambos os suspeitos fugiram correndo. Um dos jovens deixou, no local do crime, uma réplica de arma de fogo utilizada para a tentativa de assalto. Ela foi apreendida para investigação.

O jovem baleado foi encontrado, momentos depois, pelos militares que atenderam a ocorrência, na rua Dr. João Manoel Tannus. Ele foi levado ao Pronto-Socorro do Hospital de Clínicas da Universidade Federal de Uberlândia (HC-UFU), onde permanece internado sob escolta policial. O outro suspeito ainda não foi localizado. Ele foi descrito pelas vítimas como alto, magro e de pele clara.

O cabo da PM deve prestar depoimento na Delegacia de Plantão da Polícia Civil na manhã desta quarta-feira (14). Para o tenente Cristiano Lemos, assessor de comunicação do 32º Batalhão de Polícia Militar, a reação do policial foi em legítima defesa. “Estava muito claro a intenção dos suspeitos de levar o veículo. Será aberto um inquérito policial pela lesão corporal provocada pelo militar, mas por procedimento de praxe. A ação dele foi legítima em defesa dele e da esposa”, disse o oficial.

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezenove + 18 =