Guerra da Transição: A prefeitura de Uberlândia no meio de uma briga infantil

Processo da troca de comando em Uberlândia provoca atrito entre o atual prefeito, Gilmar Machado (PT), e o eleito, Odelmo Leão

A briga pela Prefeitura de Uberlândia, no Triângulo Mineiro, não acabou após o resultado das urnas. O atual prefeito Gilmar Machado (PT) e o eleito Odelmo Leão (PP) só se falam via ofícios – em alguns casos com a interferência do Ministério Público – e desde a formação das equipes de transição a troca de dados sobre o município e a atual administração tem gerado atrito. Enquanto Odelmo alega que o prefeito se negou a prestar parte das informações solicitadas, Gilmar sustenta que chegou a se colocar até à disposição do adversário para uma conversa pessoal, mas não recebeu nenhum contato para programar alguma reunião.
Gustavo Lima/Câmara dos Deputados - 5/8/15 e Luiz Cruvinel/Câmara dosw Deputados - 27/10/11
Em mais um capítulo da polêmica, o prefeito encaminhou na segunda-feira a Odelmo Leão, ao Ministério Público Federal (MPF) e ao Ministério Público Estadual (MPE) um ofício comunicando o encerramento do trabalho da equipe de transição. “Nenhum outro pedido de informação será atendido pela Administração Municipal”, diz trecho do ofício. O petista afirmou ainda lamentar que as questões da transição tenham sido tratadas de forma “oficiosa, via imprensa e de redes sociais”, em vez de ser adotado o “meio oficial”.

Um decreto da prefeitura publicado no Diário Oficial do Município em 28 de outubro estabeleceu um prazo de 30 dias para o funcionamento da equipe de transição. No texto, há a promessa de que a comissão teria pleno acesso às informações relativas às contas públicas, aos programas e projetos do governo municipal. Secretários municipais e dirigentes das autarquias também foram colocados à disposição, durante três dias, para discutir os dados com os representantes do prefeito eleito.

A assessoria de Odelmo Leão assegura que tão logo foi oficializado o trabalho da equipe de transição, encaminhou cerca de 100 documentos à prefeitura com solicitações de informações, mas nem todos foram respondidos. “Além do atraso no envio das informações, muitas perguntas não foram respondidas oficialmente e documentos também deixaram de ser enviados”, diz a nota. Por essa razão, a equipe de Odelmo entrou com um pedido de intervenção do MPF e MPE para obrigar o repasse dos dados.

Notificado pelos dois órgãos, Gilmar alega que encaminhou cópia de todos os ofícios para provar que havia prestado informações sobre sua gestão. Por isso, negou o pedido de prorrogação do período para a transição – encerrado em 28 de novembro. Segundo ele, porque não havia motivo para adiar a data. “Respondi tudo o que me pediu. E ainda me coloquei à disposição para conversarmos pessoalmente, mas ele continuou me mandando ofícios”, afirmou o petista.

O prefeito lembrou que quando venceu as eleições em 2012 recebeu o governo de Odelmo Leão e em 30 dias encerrou o trabalho de transição. Gilmar Machado ainda reclamou que o sucessor vem divulgando que as contas devem fechar com um rombo de mais de R$ 200 milhões com a folha dos servidores, débitos com fornecedores e dívidas na área da saúde. “Ele quer só fazer tumulto e terrorismo, criar pânico na cidade”, completou.

Em nota, Odelmo Leão afirmou não estranhar a atitude do adversário político e reiterou que as informações pedidas não foram repassadas em sua totalidade. Depois da disputa de outubro, Odelmo e Gilmar estarão frente a frente no próximo dia 1º durante a solenidade de posse. “Vou lá, assino o documento e vou embora”, planeja o atual prefeito.

FONTE:
http://www.em.com.br/app/noticia/politica/2016/12/14/interna_politica,832424/prefeitura-de-uberlandia-e-local-para-briga-de-politicos-adversarios.shtml

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

6 + nove =